4 de novembro de 2010

A sinceridade e a honestidade me tornaram mais ingênua do que eu acreditava ser. Se for preciso, digo. Se não souber como dizer, tento. Se eu já omiti, sim e se necessário, omitirei. Enganar só a mim, aos meus sentimentos que entram em conflito constantemente. Roubar, tanto ao lado material como o pessoal, não. No mínimo ficaria noites sem dormir sem vantagem alguma. Aliás, sou uma boba. Vejo pouco além do que deixam claro. Se for simpático e tiver uma conversa boa. Meio caminho andado. Nenhuma das duas qualidades anteriores, volte outra hora. Se for engraçado, fizer rir.. fique por aqui. Mas lembre principalmente, disfarce. Bem! Meu coração anda meio cego, minha razão, lenta. Não costumo desconfiar de quem faz bem e aviso, é bom desconfiar. Ninguém é tão bom que não venha cair. Revelar sua máscara. O preço que se paga aos inocentes é o mesmo, decepção. Aos causadores, falta de caráter e de inteligência. Afinal, tenha cuidado e bote a mão no fogo por você e não por alguém. A primeira pessoa da lista, ás vezes, deveria ser a última. Ligue o sinal de alerta e olhe duas vezes antes de se precipitar, a boba e ingênua aqui, pretende seguir os seus conselhos.